Pós-cirurgia de tireóide (7) – Completando 3 meses e meio

Crônicas do Cotidiano > Pós-cirurgia de tireóide (7) – Completando 3 meses e meio

Já se passaram 3 meses e meio desde que tiraram a minha tireóide. Continuo melhorando.

pescoçotireóide

A cicatriz permanece visível, mas está ficando menos conspícua (menos vermelha e protuberante). A minha preocupação principal não é mais tanto de escondê-la dos olhares alheios, mas apenas de protegê-la do sol e de luz fluorescente. Uma amiga já havia me falado sobre este tipo de iluminação antes (tão comum hoje em dia—quase obrigatória, se formos pensar bem), mas eu não dei muita importância a esta orientação até que o cirurgião adicionou o mesmo alerta, na minha última consulta. Assim, fiquei mais ciente da necessidade de usar protetor solar (ou usar gola alta ou xale), até dentro de casa.

Minha voz continua melhorando, surpreendentemente. Algumas semanas atrás, eu estava convencida que ficaria para sempre com sérias limitações neste instrumento tão precioso de comunicação, mas agora já começo a pensar que elas talvez não serão tão grandes quanto imaginava. Antes, até meus parentes mais próximos tinham dificuldade em reconhecer que era eu falando no telefone.

Na semana que passou fui até reconhecida pela secretária de uma dentista com quem fiz tratamento de canal há dois anos. Quando comentei isto com uma amiga, ela falou—Betty, não foi apenas pela voz, foi pelo sotaque—aquela mistura de gringa com nordestina brasileira é inconfundível! Ainda bem que tem mais gente me dizendo que notam grandes melhoras… Meu marido diz (brincando) que já estava com vontade de me exorcizar, porque a voz que saía de mim não parecia a minha. Agora, até ele acha que estou melhorando bastante.

Ainda assim, sempre amanheço rouca e não consigo falar por muito tempo sem pigarrear. E ainda continuo apenas abrindo a boca e fazendo de conta que estou cantando na hora de louvar a Deus através dos hinos na igreja. Mas já arrisco cantar baixinho para meu netinho—ele não sabe que Vovó está alcançando apenas metade das notas…

A endocrinologista disse para eu ir para um otorrinolaringologista e que, este, talvez me enviará para um fonoaudiólogo. Ainda não fui para nenhum dos dois. Creio que vou esperar mais um pouco, ainda.

A medicação. Estou tomando apenas Synthroid 100 conforme os meus médicos me instruíram—logo de manhã, pelo menos meia hora antes de comer. Tenho uma caixinha ao lado da cama com divisórias marcadas com os dias da semana. Tomo o comprimido daquele dia e deixo a tampinha aberta para poder verificar de cara se a tomei ou não (e para encontrar no escuro qual compartimento eu devo abrir), e tenho conseguido lembrar disso fielmente.

Ou quase. Teve um dia em que faltou pouco para eu entrar em pânico. Meu marido estava viajando e, de repente, às dez da noite, percebi que não havia tomado o comprimido daquele dia. E agora? Tomo ou não tomo? E se tomar—o que fazer de manhã? Tomar de novo? Esperar quantas horas? Qual será o efeito de engoli-lo, ou de não engoli-lo?

Tinha certeza que meus médicos (e seus cônjuges) não iriam apreciar uma ligação àquela hora. Olhei na Internet e não consegui encontrar uma orientação satisfatória. Mas li várias observações assustadoras de pessoas que haviam ficado sem tomar, e sentido e sofrido todo tipo de coisas. E de outras que escreveram que não haviam sentido qualquer efeito. Entretanto, não achava nada de fontes de confiança. Finalmente, resolvi não tomar. Li minha Bíblia, orei e consegui descansar na providência de Deus e dormir. Não senti nada fora do normal. No dia seguinte, tomei o remédio normalmente. Enviei um e-mail para a minha endocrinologista e recebi uma resposta, com orientação, conforme “colo” abaixo:

Qui 13/08/09 14:55

Olá, Dra. —:

Ontem, mais ou menos às dez da noite, percebi que não havia tomado meu comprimido de Synthroid de manhã. Foi pela primeira vez nos três meses desde a cirurgia! Fiquei na dúvida se ainda tomava ou esperava.  Minhas pesquisas, na bula e na Internet, em inglês e em português, ajudaram muito pouco, apenas mandando tomar logo que se lembrar e não mudar o horário do próximo comprimido…

Resolvi esperar, já que não estava sentindo nada de diferente, e com medo de ter efeitos colaterais com hormônio demais no meu sistema se repetisse o remédio depois de apenas 9 horas. A bula também não faz terrorismo para quem se esquecer, sobre conseqüências drásticas, etc., e não vi estatísticas de morte para quem deixar de tomar por um dia. Entretanto, sei que o hormônio é importante para meu bem-estar e sobrevivência e li postagens de gente dizendo que sente logo a falta.

Recomecei hoje de manhã. Estou me sentindo bem. Mas gostaria de saber qual deve ser o meu procedimento no futuro. Existe alguma regra?

Agradeço a atenção. Abs, Betty

A resposta veio no dia seguinte:

Sra Betty:

Fique tranquila!

O hormônio mantém-se no sangue por 7 dias. Claro que neste período, se não tomá-lo, a concentração vai caindo. O ideal é ingeri-lo diariamente a fim de manter a concentração constante.

Quando ocorrer o esquecimento, o correto é aguardar 4 horas com estômago vazio e, daí esperar por, no mínimo, 30 minutos para alimentar-se, ok?

Um abraço!

Dra —

Foi bom receber esta orientação. E anteontem descobri que uma amiga, que já toma hormônio para tireóide há 15 anos, passou grande parte deles pensando que poderia ter um ataque de coração se se esquecesse—simplesmente porque uma atendente na farmácia havia comentado algo neste sentido na hora da compra. E seu marido é médico! Apenas recentemente ele soube desta crença dela e a desfez…

Cansaço. Na semana passada, passei vários dias sentindo MUITO cansaço. Não fiquei acamada, mas sentia sono conjugado a um certo mal-estar e me empurrava de uma obrigação para outra. Tinha começado uma nova caixa de synthroid e fiquei desconfiada que o remédio poderia ser falsificado. Mas raspei a caixa no lugar que dizem que comprova a autenticidade do produto e estava tudo certo. Felizmente, o cansaço passou. Agora já estou bem. Deve ter sido uma virose… É interessante como coisas que antes seriam encaradas como uma indisposição corriqueira de repente assustam.

Comentários no blog. Estou bastante surpresa com a interação que está havendo nos meus posts sobre a cirurgia de tireóide … Quando comecei com cronicasdocotidiano.com, nunca pensei que teria muitos leitores. No início, queria um site para colocar os textos que já haviam sido publicados numa revista de senhoras. Meu filho, em vez disto, me deu um blog, uma oportunidade de postar textos a meu bel-prazer, sem ninguém impondo prazos, temas ou tamanhos. E comecei a escrever, pensando que meus leitores seriam familiares e amigos e uns poucos “convidados” através destes. Entretanto, aos poucos, o número de leitores tem crescido e estou sendo lido por pessoas do mundo inteiro, às vezes agradando e, outras vezes, aborrecendo… É gente que não me conhece, nunca me viu e, provavelmente, nunca me verá.

Tenho um serviço que me dá uma listagem diária dos posts que foram acessados. Os mais lidos (mas pouco comentados), até pouco tempo, tem sido os que falam de Maria e Marta. Mas, agora, são aqueles que lidam com a minha cirurgia de tireóide. Não sei bem como as pessoas os encontram, mas nos últimos 200 acessos (ontem e hoje—06 e 07 de setembro), clicaram nos posts sobre tireóide 46 vezes. O mais lido (e o mais comentado) é o número 4.

Nos comentários, homens e mulheres têm respondido àquilo que escrevi e compartilhado suas experiências—sintomas, cirurgias, seqüelas, dores e temores. Alguns pedem conselhos. Outros dão. Minha vida tem estado tão cheia que tenho encontrado tempo quase unicamente para autorizar sua entrada no fim dos posts. Pude responder somente a uns poucos, apesar de me comover, entristecer ou alegrar com a realidade de cada um. Pretendo postar estas respostas e vou tentar comentar mais alguns nos próximos dias.

Até então, Betty

1.019 Comentários a “Pós-cirurgia de tireóide (7) – Completando 3 meses e meio”

  1. Pedro Henrique disse:

    Na verdade não falo do fim da reposição hormonal.

    Obrigado pela reposta.

  2. betty disse:

    Está na hora de voltar para o médico, Ivone. Algo não está certo. Abs, Betty

  3. betty disse:

    Olá, Renata. Você não pode ficar sem tomar a medicação. Ela é necessária. Sem ela você não poderá viver. Continue insistindo com seus médicos para descobrir a dosagem certa ou se tem algo mais que precisa ser tratado, para que se sinta melhor.

  4. Josefa de almeida galdino disse:

    Fiz um cirurgia estou com 78 dias. Só que depois de 20 dias surgiu uma sensação de que estou com algo estranho nas cordas vocais tipo assim sempre que como algo fica como tivesse uma pele dentro da garganta colada mim sufocando quando engulo o goto e muitas vezes com falta de ar.fui na minha hidroquina ela mim passou uma ultrason cervical, será que essa ultracervical vai mostrar algo que está mim atormentanto tanto ou não. E então qual tipo de ultrason que pode ser visto nitido o local onde foi tirados os nódulos. A minha cirurgia foi parcial. Por favor mim ajudem fico muito grata com a resposta.

  5. betty disse:

    Olá, Josefa. Foi bom você consultar uma endocrinologista. A ultrassonografia é uma boa maneira de descobrir a causa do problema. Espero que você logo encontre tanto o diagnóstico, quanto o tratamento eficaz. Que Deus a abençoe. Abs, Betty

  6. Grace disse:

    Obrigada! Ler esta postagem tirou minh duvida sobre o esquecimento do remédio! Tirei a tiróide devido à um câncer faz uma semana!

  7. Rosangela disse:

    Bom dia,descobrir que terei fazer a cirurgia de retirada da tireoide,ainda não sou mãe,influencia será no futuro pra engravidar.

  8. betty disse:

    Que bom, Grace. Espero que sua recuperação esteja progredindo bem (temos uma filha com o mesmo nome – ela é um “favor não merecido” de Deus.) Abs, Betty

  9. betty disse:

    Querida Rosangela. Já recebi várias centenas de comentários nos meus posts sobre esse assunto e não tenho percebido essa consequência. Creio que você só deve temer tal possibilidade se seus médicos aventurarem esse efeito por causa de algo excepcional na sua situação. Abs, Betty

  10. Sheila disse:

    Boa noite! Sua voz voltou 100%? Se sim, em quanto tempo?

  11. betty disse:

    A minha voz de falar, sim. As pessoas da minha juventude ainda reconhecem a minha voz no telefone (sou idosa já). Mas a minha voz de cantar, que já havia sumido, nunca mais voltou. (Nunca foi “cantora”, mas era relativamente entoada…)

  12. roberto soares disse:

    oi boa tarde! sou novato no assunto, e o meu médico me aconselhou a retirada da tireoide ,pois a mesma esta cheia de nódulos. confesso que depois de pesquisar na internet e ler alguns comentários estou começando a ficar preocupado. sobre alteração da voz , sobre a cicatriz,sobre as alteracões,sobre os remédios pós operatórios e etc….

  13. Cida Drumond disse:

    Olá.Tem exatamente 11 dias q fiz essa cirurgia.
    Minha voz não modificou.Senti nós 10 primeiros dias um desconforto ao engolir. Aguardo o resultado da biópsia,só q ontem começou a dar um papo no meu pescoço acima da cirurgia.Hje ele cresceu mais um pouco.Alguem sabe a razão disso ?

  14. Brunna disse:

    Oi queria saber se pode fazer a cirurgia menstruada?

  15. Julio disse:

    Gostaria de saber se há alterações de humor após a retirada da tireóide

  16. betty disse:

    Normalmente não há alterações de humor relacionados a isso, Julio/Tulio, excetuando as que forem normais quando o gente sofre uma cirurgia. Se você achar que houve, converse com um(a) endocrinologista. Abs

  17. betty disse:

    Nunca ouvi falar que era problema, Brunna. Mas pode perguntar ao seu médico. Abs,

  18. betty disse:

    Olá, Cida: Já faz uma semana que você fez a pergunta. Tenho estado viajando e com muitos compromissos e não deu tempo. Espero que já conseguiu conversar com um médico que achou uma solução. Abs

  19. betty disse:

    Olá, Roberto. Saber que a gente precisa fazer uma cirurgia nunca é agradável. E, realmente, não temos garantia sobre os efeitos colaterais. Entretanto, talvez ajude olhar por outro lado. Pode dar graças a Deus que descobriu antes de piorar mais, e que vive numa época em que algo pode ser feito (100 anos atrás você ficaria com o problema, e crescente, até o fim-da-vida). Basta a cada dia o seu mal. Se prepare do melhor jeito possível e vá em frente. Creio que 95% das vezes, os temores nessa área de tireoide são muito além daquilo que realmente acontece. Existem problemas de saúde muito mais sérios e difíceis de resolver. Com relação ao remédio que tem que tomar depois, para mim tem sido um abençoado substituto da tireoide (providenciando os hormônios sem os quais eu não poderia viver), sem efeito negativo algum. Que Deus o encoraje e acompanhe, abs, Betty

Deixe o seu comentário

Crônicas do Cotidiano > Pós-cirurgia de tireóide (7) – Completando 3 meses e meio