Marta e Maria (e o Que Elas Têm a Ver Comigo?) Parte II

Crônicas do Cotidiano > Marta e Maria (e o Que Elas Têm a Ver Comigo?) Parte II

Parte de uma Série:

  1. Marta e Maria (e o Que Elas Têm a Ver Comigo?) Parte I
  2. Marta e Maria (e o Que Elas Têm a Ver Comigo?) Parte II
  3. Marta e Maria (e o Que Elas Tem a Ver Comigo?) Parte III

Há alguns dias atrás, postei uma descrição da experiência que motivou meu estudo do relato a respeito de Marta e Maria que encontramos no livro de Lucas. Agora tentarei compartilhar algumas cogitações sobre estas duas senhoras, especialmente a Marta. O que elas têm a ver com o meu aproveitamento daqueles três dias “em família” em Campos de Jordão? Voltemos à história delas em Lucas 10. Citarei inicialmente a primeira versão bíblica em que li e estudei o texto, em português. E depois mais duas outras.

Devo parar aqui para dar uma explicação. Quando os princípios da Bíblia me vêm à mente, eles chegam numa mistura de versões e línguas. De certo modo, isto enriquece e amplia a minha compreensão. Por outro lado, atrapalha a minha lembrança dos textos quando quero usá-los numa conversa ou estudo. Quando criança, o Espírito Santo primeiro foi iluminando a minha mente com uma antiga tradução em holandês, depois com várias versões em inglês—a da linguagem do Século XVI (King James) e duas mais modernas (NIV e a New American Standard). No português, comecei numa igreja que usava a Almeida Corrigida (13 anos) e depois a Almeida Atualizada (20 anos) (com procuras paralelas na NVI e na Bíblia Viva). Durante estes períodos, minha leitura diária tem sido na versão da época e, portanto, os textos vão se penetrando na minha memória com aqueles termos. Entretanto, muitas vezes, as palavras que me vêm à mente são as da primeira versão que manuseei.

SaudadesdaMinhaIrma

Assim, enquanto eu estava indo e voltando pelos cômodos daquele casarão naquela primeira noite da nossa estadia em Campos de Jordão, agitada e chateada, invejosa e cansada, guardando, arrumando e adiantando para o dia seguinte, a imagem de Marta me veio à mente juntamente com a palavra distraída, e os termos ansiosa e afadigada. Naquele momento, me enxerguei espelhada completamente naqueles três termos e me dei conta que algo não estava certo. Lembrei-me que Jesus havia falado da “boa parte” (a que todo mundo exceto minha irmã e eu estávamos desfrutando naquele momento) e “caiu a ficha”. Falei com Nellie que o resto do trabalho poderia ficar para depois (coitada, é pior ser uma Marta na casa dos outros porque não se pode seguir a própria cabeça), fizemos chocolate quente e fomos nos sentar com os outros.

Vejamos as versões.

E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém andava DISTRAÍDA em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe pois que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ANSIOSA e AFADIGADA com muitas coisas, mas uma só é necessária; Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.
—Versão Almeida, Edição Revista e Corrigida

Marta AGITAVA-SE de um lado para outro, OCUPADA em muito serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tivesse deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas.
–Versão Almeida, Edição Revista e Atualizada

Marta, porém, estava OCUPADA com muito serviço. E, aproximando-se dele, perguntou: “Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude!” Respondeu o Senhor: “Marta! Marta! Você está PREOCUPADA e INQUIETA com muitas coisas”.
–Nova Versão Internacional

Nesta passagem percebemos, em primeiro lugar, que Marta parece ser a dona da casa (o texto diz que ela recebeu a Jesus “em sua casa”). Suponho, portanto, que ela era a irmã mais velha. Provavelmente, até (bem) mais velha do que Lázaro—senão ele teria sido mencionado como o hospedeiro. (Pensando bem, ele nem aparece no relato de Lucas. Só sabemos da existência dele por uma outra narrativa, que nos vem através de João e que vou mencionar daqui a pouco.) Quando duas irmãs moram juntas, o normal seria que os vizinhos dissessem—aquela é a casa de Marta E Maria. Portanto, penso que a personalidade de Marta era bem mais forte e que, normalmente, era ela quem fazia e pagava as compras, resolvia os problemas, comandava e controlava o andamento da casa—a comida, a limpeza, a lavagem das roupas, a contratação de empregados e serviços, as preparações para receber uma visita…

Por ser a irmã caçula, e quem sabe, talvez órfã numa tenra idade, é possível que Maria tenha sido automaticamente poupada por Marta das tarefas e ocupações maiores. Se, tudo já corria bem sob o domínio da Marta enquanto Maria crescia, parece-me plausível que Marta relutava em ceder parte das rédeas à sua “irmãzinha.” Maria poderia até ajudar e ser responsável por algumas funções, mas quem mandava era a irmã mais velha. Penso que Marta era uma mulher acostumada a dar as ordens, capaz, bem organizada, que sabia muito bem administrar sua casa, possivelmente com vários empregados. Num dia normal, Marta provavelmente nem esperava que Maria viesse a dar uma mão no serviço da casa.

Já que Jesus vinha a pé, devagarzinho, parando de lugar em lugar, Marta deve ter sabido bem antes que ele estava a caminho. Com certeza, já tinha uma idéia de quantas pessoas estariam chegando com ele e fez preparações de acordo. Fora os doze discípulos com quem Jesus sempre andava, provavelmente haveria várias das pessoas de maior prestígio na sua cidade dentro da sua casa. Todos precisavam ter os pés lavados, algo para beber, algo para lanchar e talvez até refeições completas.

Imagino Maria ajudando alegremente com os preparativos, ajeitando as almofadas no chão, verificando o óleo nas lamparinas, preparando a massa de pão ou lavando frutas, impaciente quanto ao momento que finalmente iria poder sentar e ouvir as palavras do mestre dos mestres, quando ele ensinasse as coisas que ajudariam a preencher os anseios do seu coração. Creio que Marta nem pensou em dizer para ela—“Olhe, eu estou contando com você para fazer isto e cuidar daquilo, está bem?” Ou—“Irmãzinha, nós duas estamos com muita vontade de ficar o tempo todo ouvindo Jesus falar, mas também estamos com a responsabilidade de dar comida e dormida para aquela tropa toda que vem com ele. Já deleguei a maior parte do serviço para (o servo) Esdras, mas gostaria de contar com você para… Que tal, você cuidar de … e eu cuidarei de…?” Não, penso que Marta estava acostumada a cuidar de tudo sozinha e não delegou tarefa alguma a Maria.

Julgando por seu agito no dia da história em questão, desconfio que Marta era o tipo de pessoa que nutria certo orgulho por ser uma pessoa reconhecida pelas qualidades e habilidades que havia desenvolvido ao longo dos anos. Acho, também, que ela havia assimilado uma tendência a ser perfeccionista em tudo que fazia e que, portanto, era uma pessoa que zelava para que cada detalhe saísse impecável. Assim, era importante para Marta, quando seu convite foi aceito, ser considerada uma exímia anfitriã—por todos e, especialmente, por Jesus. A sua hospitalidade e aparente bondade e generosidade vinham acompanhadas por um grande senso de dever e por um enorme medo de errar, falhar, desapontar ou cometer uma gafe… Ela angariava e entesourava os louvores que lhe confirmavam como excelente dona de casa e hospedeira. Sem perceber, provavelmente, se realizava nisto. Era o que enchia seus pensamentos e lhe dava significado e propósito. Apesar de estar percebendo e cuidando das necessidades dos outros, a sua motivação não estava correta.

Aparentemente, algo ameaçou prejudicar a reputação da Marta. Não sabemos o que foi. Talvez Jesus chegou com dez pessoas a mais do que ela esperava e o boi que havia mandado matar era pequeno demais. Talvez a lenha acabou antes da hora. Pode ser que ela mesma teve que correr para buscar mais água na hora dos lava-pés. É possível que ela estivesse com dor de cabeça ou com cólicas. O que sabemos é que ela “sozinha” não estava dando conta da tarefa que havia assumido. Aparentemente, a conseqüente ameaça à sua reputação fez com que Marta procurasse, instintivamente, encontrar algo ou alguém em quem colocar a culpa. No agito do seu coração, então, ela se concentrou na pessoa de Maria, possivelmente considerando-a aquela preguiçosa que havia abandonado o serviço dela para ficar sentada no meio dos convidados para ouvir Jesus. Ou aquela indolente abelhuda, que havia se esquecido que “lugar de mulher é na cozinha”. Vemos que Marta ficou tão, mas tão irritada e tão certa que Jesus iria concordar com ela que terminou despejando sua queixa na frente de todo o mundo. Era uma humilhação para sua irmã, na certa. Mas ela não se importava. Melhor assim, e salvar a sua reputação, do que passar vergonha por algo que não considerava ser culpa sua. Afinal, ela havia acordado na madrugada e ainda não havia parado, nem para almoçar. Ninguém é de ferro…

Tentemos imaginar a cena. Estamos numa sala grande com muitas pessoas reclinadas ou sentadas diante de Jesus. Maria está sentada no meio delas, aos pés de Jesus, escutando avidamente, pensando em nada mais do que o privilégio de ter o mestre dos mestres ensinando na casa dela. Provavelmente nem percebe que, por alguma razão, a normalmente eficiente Marta não está dando conta do serviço. Pode ser até que ela imagine que Marta também está em algum lugar na sala, ouvindo e aprendendo, enquanto os empregados cumprem as tarefas que lhes foram delegadas.

Quando Marta entra na sala para verificar se está faltando algo, o olhar de Jesus pousa diretamente nela. Na minha imaginação, ela se dá conta do fato que seu rosto deve estar bem vermelho e que parte da sua cabeleira se soltou e agora está puxada para trás. Sobrou muito pouco da elegância e finura com as quais recebeu o Senhor Jesus e seus discípulos naquela manhã. Inconscientemente, ela passa a costa da mão pela testa e por cima do lábio superior para remover as gotas de suor enquanto olha para ele com ar de súplica. Jesus não lhe dirige a palavra, mas ela sente que ele não está satisfeito com algo, que alguma coisa lhe perturba. Erroneamente, ela conclui que ele está percebendo defeitos ou falhas na hospedagem. E ela explode…

Como resultado da sua impetuosa explosão pública, todo mundo acaba ouvindo a admoestação amorosa de Jesus que começa com Marta, Marta... E em vez da bronca que Marta pede, Maria recebe um elogio—um elogio que repercute até os dias de hoje, 2.000 anos depois. Jesus diz que Marta estava se afadigando com muitas coisas, mas apenas uma coisa tinha valor real (era necessária) naquela hora. Ele afirma que é Maria que escolheu esta—a boa parte.

Marta deve ter ficado muito envergonhada. Provavelmente desejou que o chão se abrisse e lhe engolisse. Mas a história termina abruptamente. Lucas não nos diz qual foi a reação dela. Entretanto, podemos ter certeza que ela aceitou e entendeu a avaliação de Jesus, pois João nos permite mais duas olhadelas na sua vida e no seu relacionamento com o Senhor nos capítulos 11 e 12 do seu evangelho.

Na primeira vez, é ela que procura Jesus quando seu irmão Lázaro morre, enquanto Maria fica em casa chorando. O registro da conversa deles demonstra que ela também havia aprendido a escolher e crer na boa parte—a única coisa necessária e que estava tudo bem entre ela e Jesus. Era dos ensinamentos do mestre que ela estava tirando forças e esperança ainda que Jesus não ressuscitasse seu irmão. Veja que João nos diz especificamente que Jesus amava a Marta, colocando seu nome antes dos de Maria e Lázaro a quem ele também amava. Através da sua amizade, a fé de Marta havia sido forjada em outras hospedagens, em outras conversas—momentos em que ela deve ter continuado comandando a recepção de Jesus, mas de outro modo. Leiamos as fortes e seguras afirmações dela. E lembremo-nos de que é à Marta que Jesus dirige este belo “eu sou” (um dos sete registrados por João).

Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro…. Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, … mesmo agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá.
Respondeu-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir.
Disse-lhe Marta: Sei que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia.
Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?
Respondeu-lhe Marta: Sim, Senhor, eu creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo.

Os nomes de Marta e Maria aparecem mais uma vez no livro de João (12.1-3), bem no início da última semana da vida de Jesus.

Seis dias antes da páscoa, foi Jesus para Bethânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe, pois, aí, uma ceia; Marta servia, sendo Lázaro um dos que estavam com ele à mesa. Então Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo.

O que impressiona é que Marta ainda continua sendo “Marta” (servindo) e Maria continua sendo “Maria” (adorando de maneira singela). Entretanto, tenho certeza que algo estava bem diferente desta vez no coração de Marta. O que terá sido? E o que era então a “boa parte” que Maria havia escolhido? Qual foi a atitude tomada por ela que eu pude emular naquela noite, há dois meses? Veremos isso na Parte III destes posts.

Continua Aqui »

31 Comentários a “Marta e Maria (e o Que Elas Têm a Ver Comigo?) Parte II”

  1. Juliana Silva Viana disse:

    Acho que temos que ter um pouca das dus em nossas vidas, temos que saber servi , e, também adorar a Deus em todos os momentos de nossas vidas.Todas duas tem o seu valor pra Jesus ,mas com certeza Maria recebe muito mais de Jesus, por recebe do trono de Deus .

  2. celene Lima disse:

    Estou lendo o Livro “como ter o coração de Maria no mundo de Marta” e vejo que há mesmo um grande desafio em encontrar o equilíbrio entre a adoração e o serviço. Infelizmente com o corre corre atual muitas vezes perdemos a melhor parte: Estarmos inteiras na presença do Senhor!

  3. Lenilza Campos disse:

    Marta não é só a que serve. É a que acredita, a que ora no trabalho, a que nos mostra que podemos fazer as duas coisas, pois ela aprende o que é mais importante é AMAR e SERVIR ao senhor em todos os detalhes na oração e no serviço. Te agradeço pois pude entender melhor a minha vocação. DEUS te abençoe.

  4. alexandre disse:

    excelente visão. excelente texto, belos e profundos pensamentos e liçoes…

  5. Sandra disse:

    Irmã, primeiro quero agradecer pelos textos, excelente. Segundo, queria que pudesse me ajudar e orientar, sobre o livro de Tito cap 2,5 instruções para as recém-casadas, especialmente “boa dona de casa” “para que a palavra de Deus nao seja difamada”, bom, o que é prioridade no reino?

    gta

  6. betty disse:

    Querida irmã Sandra:
    Agradeço suas palavras encorajadoras. Não tenho tempo no momento para “falar” muito sobre este assunto mas adianto que creio que este versículo (e outros) indica que a administração do lar e, portanto, os cuidados do marido e dos filhos, deve ser a prioridade de qualquer mulher casada, seja recentemente ou há muito tempo. Numa época em que nós, mulheres, estão sendo preparadas quase unicamente para seguirmos uma carreira (ou um ministério) e, depois, para continuarmos empregadas e atualizadas na profissão via longas horas de trabalho e estudos, muitas sofrem significativamente (e seus lares) porque acabam invertendo as prioridades.

    Está na hora de revermos as nossas opções diante de Deus. Isto não precisa significar viver dentro de casa “escravizada” ao restante dos habitantes dela nem, de jeito nenhum, nos abstermos inteiramente de atividades remuneradas ou ministeriais. Exige “apenas” reflexão e oração, como casal, e bastante criatividade. Procure conhecer algumas mulheres que optaram por dedicar-se à complementação dos seus maridos e à criação dos seus próprios filhos (especialmente nos primeiros anos formativos), ouça seu testemunho e descubra seus segredos. Não há nada que compense ou substitua o input da esposa e mãe na transformação de uma casa num lar. A nossa presença, paciência, sensibilidade e capacidade de ouvir, ensinar, acolher e organizar são muito essenciais e especiais.

    Veja também os links sob Família, Companheirismo e Maternidade/Mãe no meu blog, especialmente Mulher Maravilha http://www.cronicasdocotidiano.com/?p=192 e Mulher e Mãe no Século 21 http://www.cronicasdocotidiano.com/?p=97 .

    Que Deus a abençoe,

    Abs, Betty

  7. sonia disse:

    dentro de cada uma de nós existe uma marta e outra maria, mas temos que saber como podemos fazer para não sermos só marta ou só maria, pois precisamos de um equilibrio, pois nós que casamos temos que cuidar da casa marido, filhos, sem nos esquecermos de Jesus, então temos que saber viver essas duas mulheres sem deixar que uma só se sobre saia, um abraço para todas martasmarias.

  8. poliana teixeira da silva disse:

    sou do jeito que sou e não mudo por nada

  9. rosivaldo disse:

    muito bom! deus continue te abençoando

  10. anderson marques pimenta disse:

    A paz do Senhor para todos . querida irmã vejo que o versículo citado que fala de marta e maria tem, também por nos ensinar , que em nossas vidas deixamos de olhar a Cristo de forma correta , como em primeiro lugar . Fazemos que nem Marta nos preocupamos com nosso afazeres e trabalho e realizações , esquecemos que um dia ele disse ” buscai primeiro as coisas de Deus , e as outras serão acrescentadas” . Vemos que maria o fez, buscou o de melhor que era ter o ensinamento de Jesus , mas porem Marta não o entendeu ,mas também teve seu aprendizado . Não da forma correta da forma de Deus e sim da forma carnal , que as vezes nos escolhemos sempre atropelando o aprendizado de Cristo . Vemos que temos que na realidade não nos preocupar em nos preparar mas sim em ser preparado por Cristo. Pois ele conhece a pedra preciosa somente em olhar e ai nos lapidar para nos tornarmos a pedra preciosa .

  11. Luisa Alves disse:

    Boa noite a todos!

    O Episódio narrado tem um significado muito especial pra mim.
    Há muito vinha eu tendo uma imagem em minha mente que narro a seguir:
    Uma casinha, de barro ou pedra qualquer coisa assim, uma portinha onde alguns degraus de escada desciam para dentro da casa, poucos comodos, duas mulheres na casa cujos nomes me vinham a mente: MARIA e MARTA e defronte à casa – cuja rua era de terra, uma árvore com uma mesa rústica encrustrada nela e um banco. na cena mental, eu estava ali sentada no banco, encostada na mesa , debaixo daquela árvore e de frente para a casinha. E então, de repente JESUS saia da casa e caminhando rapidamente em direção a uma floresta, arvores e grandes pedras e então se sentava acima de uma dessas grandes pedras e eu então, ao vê-lo sair da casa tratava de seguí-lo…vendo seus cabelos e manto esvoaçando ao vento, sentindo aquela altivez e energias que somente ELE emana, e então me sentava bem abaixo de seus pés, ao seu lado e ai minha visão mental dessa cena terminava.
    Vi, mentalmente essa cena muitas vezes ao longo de alguns anos, se passar na minha cabeça.
    Eu pensava:
    - Quem é essa moça chamada MARIA, seria a mãe de JESUS? Bom, Marta eu sabia que era uma das moças que fez parte da história da biblia mas não sabia exatamente quem era. E me intrigava, por que JESUS sai dessa casinha? Será que ELE morava lá? E apesar de ler algumas passagens da biblia, não pude checar, tirar essas minhas duvidas sobre essa imagem/cena mental. E acabava passando. Mas, de repente depois de algum tempo, lá vinha a passagem, imagem, cena de novo à minha mente.
    Hoje sei que essa cena realmente existiu na história biblica – aqui narrada- e que Maria e Marta são irmãs de Lázaro e que JESUS frequentava a casa delas para minha surpresa e imenso deleite!
    Isto que narrei acontceeu de fato, trata-se de uma história verdadeira e fiquei mais extasiada quando pude confirmar que o mesmo realmente aconteceu e que está narrado na Bíblia!
    Só quiz contar isso a vocês! Compartilhar com vocês! JESUS nos aleta, nos convoca das maneiras mais sutis!
    ELE é lindo e eu o amo mais do que tudo em minha vida!
    Deus abenções a todos!
    Profa. Luisa Alves

  12. Delza Moreir de Oliveira disse:

    Estou incumbida de falar sobre Mrta e Maria para as mulheres da nossa Igraja. Sei que é muito difícil ser Maria, quando todos exigem muito de nós. É a Igraja, o trabalho, os cuidados do lar e mais um n´=umero muito grande de atividades. Ttenho orado para ter um equilibrio, para servir Jesus. O estudo em tela me ajudou muito.

  13. robert dal comuni disse:

    sempre que leio esta passagem biblica peço perdao a Deus por ouviir Marta ser tao maltratada por pessoas que não procuram ler a palavra(biblia) sem pedir diccernimento ao Senhor .afinal ela estava recendo o filho de Deus em sua casa e quando recebemos alguem importante em nossa casa fazemos o possivel pra que ela se sinta bem, é obvivel que ela estava distraida mas isso quer dizer que temos que julga-la com tanto desprezo só pelo fato que ela não estava preparada o suficiente pra receber o que Jesus ensinara.Disse em uma de minhas fala a igreja que tem muitos pasatores que crussificam Martamas esquecem de passar os enisnamentos biblicos (os de Jesus) as suas respectivas igrejas.Vejo Marta como sra.bondosa e preocupada em amparar os outros,nos dá um grande exemplo Ela serviu a Jesus com o trabalho dela e´nós. Quo Senhor Jesus abençoe a todos .amém

  14. Eluja SOARES DE SOUA disse:

    FICO FELIZ EM ENTENDER MELHOR A POSIÇAO DE MARTA DIANTE DO SENHOR.APRENDI A RESPONSABILIDADE DE SERVIR E ORAR ,OU SEJA BUSCAR A DEUS.

  15. pastor Pedro nazareno disse:

    achei lindo ahistoria a versão, isso sin, edifica, sou curioso en tudo gosto de me espelhar en quen ten luz,[ inspiração,] eu vejo a historia de marta e maria un caus, pois a biblia fala sobre as dez virjens, lenbre ben que, a visão é estar todo tenpo pronto pois, a vinda do noivo ninguen sabe o dia; porque tenho que deixar tudo para a ultima hora? certo que ten coisa que é na hora, mais nada de atrapalhar a sua comunhão com Deus.trabalho vc senpre terá……..[un comentario para poliana teixeira da silva, olha amiga acredito que voce hoje tem outra visão, e possa aceitar a mudança, pois quen manda é Deus, e eu não posso ser contra ele.examine sua uma vida quando quando ten essa visão. jesus te ama marta!

  16. Rosana Santos disse:

    Recebi um convite para pregar dentro desse tema. Agradeço a Deus por essa fonte de inspiração e estudo. Estarei orando por você querida irmã. Ore por mim. Deus te abençoe.

  17. betty disse:

    Olá, Rosana:
    Fico contente que apreciou as minhas cogitações e espero que consiga motivar outras senhoras a viverem sintonizadas com Deus para poderem servi-lo melhor.
    Abs, Betty

  18. vera lucia mota disse:

    foi muito bom rever este estudo pois devemos prestar mais atenção nas coisas de deus do que nos serviços materiaIS so assim podemos servir com mais amor e dedicação a deus

  19. DELZIANE disse:

    Minha lider falou-me que iria ministrar na célula , pois disse sim , con obediencia e por amor a minha lider a ao meu Deus. Fui atras de uma palavra e quando estava lendo fui tocada pela palavra marta e maria . No dia seguinte , fui buscar mais sobre a palavra e me deparerei com essa palvra maravilhosa e com certeza Deus falou poderosamente ao meu coração.

  20. Pastora Fabiana disse:

    Paz Querida! Esta semana estou ministrando nas células para mulheres sobre esta passagem. Entrei no google para ler o seu estudo e achei uma bençao, tanto que Deus falou muito comigo. Em tudo precisamos buscar um equilibrio, mas sempre lembrando em primeiro agradar o coraçao do Pai-Deus. Que Deus continue lhe abençoando muiiiiiiito.

  21. Cristiana disse:

    Olá Betty,
    Que presente este de Deus para comigo ter providenciado este texto de Marta e Maria que acabei de ler.
    Tenho um amigo muito querido que é mendigo e vive em uma praça aqui em Belo Horizonte. Seu nome é Luiz Vida, e foi salvo por Deus onde antes perdeu toda sua família em um trágico acidente de carro e entrou no mundo louco das drogas. Hj é um homem de Deus, restaurado e que tem um único objetivo, e que não se desvia um único segundo sequer dele, o de ir para o céu. Ontem depois de dar o alimento para esquentar o seu corpo, uma sopa bem quentinha, ele proferiu palavras sábias e vindas de Deus para minha irmã( fazemos eu, ela e um amigo entrega de sopas aqui em BH) por um longo tempo e no final falou uma coisa para mim que era Deus falando através dele:
    Cristiana, como anda sua vida espiritual?( isso me dando um terno abraço)
    Eu disse:
    - É Luiz, tenho que deixar de ser Marta e passar a ser Maria.
    Ponto final. Em um abraço sem que não sequer disséssemos quase nada um ao outro Deus estava me cobrando. Mais tempo para com ele.
    Isso aconteceu ontem. E hj, é claro, fui pesquisar mais sobre estas duas irmãs e me deparei com seu lindo blog. Muito obrigada pela doação de palavras e vou ler tudo o que está escrito aqui!
    Fica com Deus!

  22. betty disse:

    Olá, Cristiana:
    Fico contente que você está pensando sobre como servir, adorar e conhecer o nosso Senhor. Tenho certeza que a Maria também servia e que a Marta voltou a parar para aprender e adorar o Senhor Jesus em momentos futuros. O tempo que passamos na presença de Deus (lendo a Sua Palavra, meditando e orando) é que nos incentiva para servir e nos guia no modo e no tempo de fazer isto. Portanto, continue distribuindo suas sopas mas, antes, dê uma parada para nutrir e aquecer seu próprio coração (como você entendeu ontem) Quem sabe quantos mais Luizes poderão ser libertados ou fortalecidos! E não apenas entre os pobres, mas também entre os ricos, seus parentes, amigos, colegas, vizinhos….

    Não coloque metas grandes no início. É melhor ler um Pão Diário ou um Cada Dia (ou outro livro de meditações) com o texto, do que não fazer nada porque não encontrou uma hora inteira para realizar o programa fantástico que alguém lhe indicou. Se achar pouco, ore e peça sabedoria a Deus para refazer a sua vida de modo melhor. Pode ser que enxergará áreas em que esteja desperdiçando tempo e energia a toa. Ou não. Tem momentos em nossa vida quando a carga realmente é grande. Quando pessoas idosas, crianças ou doentes dependem de nós e quase não encontramos tempo nem para dormir direito. Mesmo assim, podemos conversar com Deus e ler algo dele ou sobre Ele, ainda que for refugiando-se no carro ou no banheiro… Este tempo com nosso Pai, refletindo nos pensamentos dele e compartilhando os nossos próprios e as nossas dores e dúvidas com Ele, faz uma tremenda diferença.

    Que Deus a abençoe.
    Abs, Betty

  23. Iracema Paré Lopes disse:

    Em quem costumamos despejar nossas amarguras , comentários queixosos
    geralmente em quem não merece.

  24. Cícero Ferreira disse:

    Oi, não podemos deixar de dizer que Jesus não disse: “o que tú fazes é desnecessário Marta”. Ele disse que o que ela fazia era necessário, mas que ela estava afatigada com muitas coisas. E lembremos também que o que possibilitava uma adoração tranquila de Maria era o serviço de Marta na cozinha. Existem poucas Martas hoje, pessoas voluntárias que estão sempre som suas mãos à disposição do Senhor Jesus.

  25. betty disse:

    Olá, Pr. Cicero:
    Concordo com o senhor sobre o que “Jesus não disse”. Mas, por outro lado, o senhor ampliou o que ele “disse”. Podemos talvez concluir que ele pode ter pensado isto, mas não está no texto. O relato não nos dá todos os detalhes dos acontecimentos. De fato, como mostro, Marta continuou servindo, em outras ocasiões, com a bênção dele. E nós também devemos fazê-lo, mas com a atitude certa.
    Que Deus o abençoe. Abs, Betty

  26. pr. leonardo albuquerque disse:

    ola meus caros amigos e amigas… tambem fiquei muito feliz com esta palavra e ja tenho estudado a muito tempo esta palavra e ja ate preguei sobre esta passagem.
    e todo esse interesse surgiu quando eu estava no metro, indo para o trabalho e vi na mao de uma jovem um livro que tinha o seguinte título ” como ter um coração de maria em um mundo de marta”
    desde então (5 anos atras) tenho um interesse particular sobre essa passagem.
    fiquei preocupado com os comentarios que li, e queria compartilhar algumas observações.
    1- esse texto fala sobre serviço e adoração. não tem nada haver com matrimonio, portanto não envolve casais, serviço domesticos e nem prioridades familiares. jesus esta falando de comportamentos diante a sua presença.

    2- o mestre não esta recriminando… (nem marta nem maria) ele esta ensinando prioridades diante da visitação da sua presença.

    3- nas nossas igrejas existem os serviços ministeriais e serviços administrativos (porteiros, zeladores, operadores de som, guardadores…etc) percebam que todos são membros, mais as funções administrativas tem muito mais dificuldade de se concentrarem em todo o culto. portanto a concentração dessa parte tao importante para o funcionamento e bem estar de todos (funções adm) deve ser sempre avaliadas (para não perdemos níveis de adoração)

    4- amigos lembre – se estamos compartilhando ideias…

  27. Lécia disse:

    Na verdade todos nós temos um pouco de Marta e de Maria, ambas tem muito a nos ensinar, precisamos estar abertas e sensíveis a voz do senhor nas narrativas bíblicas e sabedoria para entender a importancia de ser Maria numa época de agendas lotadas.

  28. betty disse:

    Concordo com você, Lécia. É uma luta diária, não? Mas como somos abençoadas quando separamos tempo para estar na presença de Deus, “ouvindo” e conversando, deixando que os seus princípios, promessas e consolos guiem e acompanhem as nossas vidas! Um gde abs, Betty

  29. laurineide lopes balbino disse:

    todas temos um pouco da Marta e Maria, mas devemos priorizar a atitude de Maria, que prefere estar aos pes do Senhor

  30. Alessandro Couto disse:

    Estou montando um sermão sobre Marta e Maria eo texto acima publicado me deixou maravilhado com tantos detalhes e de como as Vezes(quase sempre rsrs…) sou muito parecido com Marta e as vezes parecido com Maria, Mais temos que ser sabios quanto ao nosso tempo, porque estamos vivendo no mundo de correria e realmente achamos que não podemos encontrar um tempo para escutarmos a voz de Deus.

  31. betty disse:

    Prezado Alessandro:
    Tem um livro recentemente publicado, chamado Socorro, não tenho Tempo de Carolyn Mahaney e suas filhas que fala muito sobre o tempo que separamos para “escutarmos a voz de Deus”. Vale a pena recomendar para as mulheres da sua igreja, mas, de certo, o princípio vale para os homens também.
    http://www.editoramonergismo.com.br/?product=socorro-eu-nao-tenho-tempo .
    Que Deus o abençoe no seu ministério. Abs, Betty

Deixe o seu comentário

Crônicas do Cotidiano > Marta e Maria (e o Que Elas Têm a Ver Comigo?) Parte II